Pega Lá Uma Chave de Fenda – Ruth Manus

Menos 2000

Quando o texto A incrível geração de mulheres que foi criada para ser tudo o que um homem NÃO quer? invadiu nossa timeline, poucos sabiam quem era Ruth Manus, mas muitos sabiam que queriam ser Ruth Manus – na verdade, escrever como ela. Com seus textos semanais no blog do Estadão, Ruth se tornou a voz de uma geração que tem muito a dizer, mas que nem sempre encontra palavras. Como muitos de nós, ela dá uma enorme importância à amizade, tem ciúme dos amigos – quem nunca disse vai lá com seu novo amigo? – e nunca se entende com a sua silhueta. Na Copa do Mundo, Ruth falou para a seleção tudo aquilo que estava entalado na nossa garganta, preso no nosso coração. Nesta coletânea de textos inéditos, Ruth faz uma ode ao amor: ao amor romântico, ao amor carnal, ao amor-próprio, ao amor aos pais – representado aqui pelo texto Pega Lá uma Chave de Fenda, que dá nome a este livro. Mas não espere encontrar aqui clichês. Ruth vê amor em lugares que muitos de nós não perceberiam: carrinhos de supermercado e canjas de galinha.